Pronampe: linhas gerais sobre o financiamento.

O dispositivo aguardava a sanção presidencial desde o final de abril e traz as regras para o programa destinado para microempresas (renda bruta igual ou inferior a 360 mil reais), empresa de pequeno porte (maior que 360 mil e inferior a 4,8 milhões de reais) ou empresas enquadradas em alguma das categorias acima. As empresas não podem ter sido condenadas por ter condições de trabalho análogas à escravidão ou trabalho infantil.


Os recursos da Lei 13.999/2020 do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte poderão ser utilizados para o financiamento das atividades empresariais, podendo ser utilizados para investimentos e para capital de giro isolado e associado, sendo que não pode ser destinado para nada que caracterize distribuição de lucros e dividendos entre os sócios.


MAS E NA PRÁTICA, ONDE BUSCAR?

Não necessariamente todas as instituições irão participar, mas estão autorizados a oferecer o crédito do Pronampe:

• Bancos públicos, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal;

• Bancos estaduais;

• Bancos privados;

• Agências de fomento estaduais;

• Cooperativas de crédito;

• Bancos cooperados;

• Instituições integrantes do Sistema de Pagamento Brasileiro;

• Fintechs;

• Organizações da sociedade civil de interesse público de crédito.


ATÉ QUANDO?

O Pronampe está disponível até 3 meses a partir de 18/05/2020, podendo ser prorrogado por mais 3 meses.


TERÁ JUROS?

A taxa máxima que poderá ser praticada será equivalente a 1,25% ao ano + taxa a SELIC, que atualmente é de 3% ao ano.


QUANTO POSSO PEDIR?

Se sua empresa tem mais de um ano, poderá pedir empréstimo no valor de até 30% de seu faturamento em 2019, com os limites de:

• R$ 108 mil para as microempresas; e

• R$ 1,4 milhão para as pequenas empresas.

- Caso a empresa tenha menos de 1 ano, o valor máximo poderá ser de:

• 50% do valor do capital social; ou

• 30% da média da receita mensal apurada desde o início da empresa.


QUAL PRAZO DE PAGAMENTO?

O prazo máximo do parcelamento será de 36 meses, sem previsão de carência, onde quem define o início do pagamento é a instituição financeira.


PRECISA DE GARANTIA?

É possível ser exigida garantia pessoal referente ao valor do empréstimo acrescido dos encargos ou de até 150% do valor contratado, no caso de empresas com menos de 1 ano de atividades.


QUAIS REQUISITOS?

Além daqueles já listados relativos à receita da empresa, quem buscar o programa deve assumir contratualmente a obrigação de fornecer informações verídicas e manter o número de empregados igual ou superior ao que do dia da entrada em vigor da lei, podendo apenas aumentar o número de contratados, sob pena de ter o vencimento da dívida antecipado.


O QUE VAI SER VERIFICADO PARA EFETIVAR O EMPRÉSTIMO?

A transação seguirá as diretrizes da lei 13.999/2020 e os procedimentos internos da instituição financeira que oferecer o Programa, porém elas estão dispensadas de exigir:

• Certidão de entrega da RAIS;

• Certidão de quitação eleitoral;

• Certificado de regularidade do FGTS (Lei do FGTS);

• Certidão negativa de débito previdenciário - CND;

• Certidão negativa de débitos - CND;

• Certidão de regularidade do FGTS (Lei 9.012/1995);

• Comprovante de recolhimento do ITR (se for o caso);

• Consulta prévia ao CADIN.


Dúvidas? Procure sempre um advogado!

7 visualizações

Telefone e WhatsApp: (011) 3082-8888

portal@conewsnity.com

Av. Dr. Cardoso De Melo, 1855, Bloco 1, Conj. 52
Vila Olímpia, São Paulo, SP, CEP 04548-903, Brasil

 

conewsnity.com   |  CNPJ: 35.692.132/0001-06

WhatsApp Conewsnity
Ouça a pronúncia "Conewsnity"
  • Linkedin | Conewsnity Portal
  • Instagram | Conewsnity Portal
  • Facebook | Conewsnity Portal
  • Twitter | Conewsnity Portal
  • YouTube | Conewsnity Portal

Somos a única agência de marketing digital no mundo que possui o próprio portal colaborativo de notícias que entrevista especialistas de diversas áreas e publica informação de utilidade pública e entretenimento.

 

Se você conhece o fato, tem a notícia. Publique